ORGULHO DE SER PROFESSOR


Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.

MEU FILHO MAIS NOVO

MEU FILHO MAIS NOVO

FAÇA PARTE DESTA IDEIA

FAÇA PARTE DESTA IDEIA
CIÊNCIA DIVERTIDA

MEU FILHO MAIS VELHO

MEU FILHO MAIS VELHO
CAIQUE DAMASCENO

APRENDA CIÊNCIA BRINCANDO

APRENDA CIÊNCIA BRINCANDO

sábado, 26 de julho de 2008

NÚCLEO DE ATIVIDADES DE ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO



O Projeto de Implantação de Núcleos de Atividades de Altas Habilidades / Superdotação - NAAH/S é uma iniciativa da Secretaria de Educação Especial do MEC para introdução das políticas e ações públicas na área de educação com as Secretarias Estaduais de Educação de todo o país. O projeto é coordenado pela Secretaria de Estado da Educação de cada Unidade da Federação e não se trata de modelo para ser implantado, mas sim de um centro de referência em atendimento ao aluno com altas habilidades/superdotação, apoio a professores de salas-de-recursos e pais/responsáveis destes alunos. As noções de inclusão se tornam uma prática à medida que passam a fazer parte dos conceitos e valores de cada pessoa individualmente e da força da equipe de trabalho. Assim serão valorizadas as diferenças dos alunos como forma de contribuição para o desenvolvimento do grupo e suas capacidades. Para que o desenvolvimento do aluno aconteça e para que os programas possam ser efetivados, faz-se necessário o envolvimento de vários setores da educação. São vários os atores envolvidos formando uma ação conjunta de forma a dar sustentação às atividades do núcleo. Devem estar envolvidos nos planejamentos os dirigentes de ensino, coordenadores, responsáveis pelo planejamento, professores, monitores, funcionários, cooperadores, parceiros, pais e responsáveis e a comunidade como um todo. As ações devem ser amplas e levar em conta aspectos como as habilidades de cada um, as diferenças apresentadas, as facilidades, as dificuldades, os aspectos emocionais, sociais, econômicos e familiares. Os traços de personalidade e os estilos de aprendizagem é que vão direcionar este tempo. Umas pessoas têm mais facilidades em algumas questões e por isso se desenvolvem mais rápido nesses pontos. Outras pessoas apresentam maiores dificuldades nas mesmas questões e desenvolvem um ritmo diferente. Mas toda pessoa tem algum tipo de habilidade e, talvez precise de oportunidades para que essas habilidades se desenvolvam. As pessoas que apresentam maior habilidade em uma área específica e, ao mesmo tempo, uma grande facilidade de compreensão, poderão entrar em descompasso com o restante do grupo e ter o seu aprendizado dispersado. Da mesma maneira, as pessoas que têm maiores dificuldades, podem ter sua aprendizagem dispersada.
Tive o enorme prazer de conhecer o NAAHS no Ceará, localizado no IEC (Instituto de Educação do Ceará) em Fortaleza, assim como as coordenadoras Maria Angélica e Nilça Vieira. Foi quando surgiu a grande possibilidade de fazer um curso em Altas Habilidades/Superdotação, no próprio núcleo. No curso, pude comprender a proposta do NAAHS, aprender a identificar um aluno superdotado, bem como suas áreas de altas habilidades, e entender sobre as alternativas de atendimento ao aluno e família, pois essas pessoas passam praticamente pelo mesmo preconceito sofrido por portadores de alguma deficiência física e/ou mental. Devido ao conhecimento adquirido e grandes amizades que fiz, o curso foi um sucesso. Não trabalho diretamente no NAAHS, mas estou disponível para colaborar em qualquer situação, seja na divulgação do mesmo, no encaminhamento de jovens com altas habilidades do Liceu para o Núcleo, na realização de oficinas, na orientação para operação de equipamentos do seu Laboratório de Física. Através dessa minha passagem pelo Núcleo, o mesmo se tornou também um importante parceiro do Liceu, principalmente no nosso Fórum de Ciências.

2 comentários:

  1. Roberto Autran Nunes31 de janeiro de 2011 05:37

    O Brasil desperdiça talentos. Há uma razão óbvia para o fato de a maioria dos jogadores de basquete serem altos. Eles estão mais próximos da cesta. Há uma razão para países bem governados darem oportunidade a pessoas com alto potencial de inteligência, independentemente da classe social a que pertençam. No Brasil a quase totalidade dos estudantes portadores de altas habilidades, entre os que frequentam a rede pública de ensino, não tem acesso ao tratamento diferenciado que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação determina, e o resultado disso é que somente quem provém de família com boa condição financeira poderá desenvolver suas potencialidades. Quem perde: a população como um todo, que se priva dos resultados que poderiam advir do trabalho dos Portadores de Altas Habilidades e Superdotação. Parte da causa disso está no fato de termos uma legislação educacional de inspiração francesa, onde a adequação do ensino às potencialidades completou 100 anos em 2005, e uma escola pedagógica de orientação espanhola, onde todos são iguais, a fórceps, queiram ou não queiram.

    ResponderExcluir
  2. O texto acima é a descrição da comunidade "O Brasil desperdiça talentos", criada no orkut. Participe. O endereço é http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=7290219

    ResponderExcluir